domingo, 8 de setembro de 2013

O tempo




Sabe aquela hora que você não sabe o que fará da vida? A hora em que você olha pra frente e só vê um futuro incerto. Pois bem, cá estou eu, escrevendo o que sinto, sentada na cama, pensando na vida, - que por sinal, qual o problema de pensar na vida? Que ditado ridículo foi esse que inventaram “Está pensando na morte da bezerra?” E se fosse na morte da coitada? Ninguém tem nada a ver com isso –  o futuro é uma caixinha de surpresas, ok, o presente já é assim. Mas o futuro me dá medo. Me olho no espelho e muita das vezes não me reconheço, ou melhor, não é a imagem que queria ver. Quero ver o meu futuro em linhas retas, limpo, sem nenhuma neblininha, ela embaça demais. Tá ok, o futuro a Deus pertence eu sei. E eu entrego tudo a Ele. Mas a ansiedade não me deixa apenas olhar para o presente, e pior, penso tanto no futuro e nessa ansiedade atormentante que esqueço-me do presente. Pode isso?
Não, não quero psicólogos, quero o presente que me faça valer levantar da cama, tomar um bom café – tipo aqueles de novela, sabe? – vestir Armani, sair de casa com meu carrão – tá o veloster – e ir para o meu trabalho ideal. Será possível que estou pedindo muito? Tá eu tenho consciência, sei que estou. Mas e daí? Não temos outro ditado “querer é poder” então. Eu quero!
Mas aí, me pego outra vez olhando pela janela, só pensando no futuro e adivinha, vendo a neblina encobrir tudo outra vez. É bem assim. Será que todos da minha idade passam por isso? Sempre acho que sou a única, a única que sofro, a única que me lamento, a única que não prospero. Mas tem uma coisa diferente dessa vez. Estou sentindo isso desde ontem. Uma coisa no meu eu, que diz que dessa vez dará certo. Dessa vez as coisas mudam. O meu futuro passa a ser o meu presente, e do meu presente olharei pro futuro e não verei nenhum ponto de interrogação, muito menos alguma neblina.

É isso mesmo que preciso, um puxão de orelha, que só eu posso me dar. Um acoooorda menina! – o da Ana Maria – mas com uma grande diferença, esse acorda não será para abrir os olhos e olhar pra tv, será para abrir os olhos e olhar pra vida. Mas claro, não só olhar, acordar, levantar, batalhar e vencer! Claro, vencer! Porque se eu quero, eu posso!

2 comentários:

  1. Eu tenho 24 anos e ainda nao sei muito o que quero da vida como vai ser meu futuro
    acho que todos passam por isso em varias idades

    Beijos Jéssica R. Coelho BLOG

    Sorteio de um cruzeiro de 4 noites na costa do Brasil

    Sorteio de uma Paleta Mineral

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que não sou eu...
      É tão confuso, né?
      A vida é difícil demais!
      Beijocas!

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão, crítica, elogio, o que quiser! Só não esqueça de deixar o link do seu blog/site para que eu possa retribuir a visita. Beijocas!